Páginas

Minha lista de blogs

Loading...

Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de julho de 2010

IIª Mostra de Teatro do Oprimido no Maranhão


Os preparativos continuam. Hoje o Grupo de Teatro do Oprimido Nação de Estudante (GTO - NDE) ensaiou, pela manhã, a cena "gravidez na adolescência".

Na cena, Claudia, uma adolescente de 16 anos, se envolve com Kauê um jovem de 17 que estuda na sua sala de aula. O namoro logo toma proporções desatrosas, sobretudo quando Claudia descobre que está grávida. Ao tentar dialogar com o namorado, desejando que ele assuma a paternidade, ela é agredida pelo jovem que não quer assumir o filho.

A cena foi montada a partir de histórias reais do bairro da Matinha, que fica na cidade de São José do Ribamar, região metropolitana de São Luis.

"De vez em quando surgem histórias como essas lá na Matinha" diz Gabriela (16 anos). "Eu tenho três amigas que engravidaram nessas mesmas condições", relata, emocionada, a atriz que representa a jovem Claudia.

"Uma menina lá do bairro, com apenas 13 anos, se jogou de uma bicicleta em alta velocidade na tentativa de abortar o bebê que aguaradava". Relata o ator Arielson (16 anos), que representa o namorado opressor. A menina não tinha apoio dos familiares nem do seu namorado, para continuar com a gravidez.

Quando perguntados sobre o que acham de sitauções como essa, a resposta é uníssona: "é repugnante!"


Quando o Teatro é uma alternativa
"O Teatro do Oprimido ensina não só aos outros, mas para a gente também", diz Gabriela. Arielson, que andava com alguns colegas que hoje já são usuários de dorgas, aliviado, lembra que o afastamento desses colegas se deu por conta da oficina de Teatro do Oprimido que tomou o resto do tempo que ele tinha livre.

"O futuro para mim vai ser melhor. depois que eu conheci o TO, eu deixei de andar com algumas amizades que já estão mortos por conta do envolvimento com a violência", conta Gabriela. Continuando, feliz, ela afirma que "as notas melhoraram na escola, O teatro me motivou mais a estudar e hoje só tenhos notas boas", relata a jovem com um sorriso largo e olhar firme de quem tem certeza de que está no caminho certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário